PT | EN


UE-PAANE: Jornalistas guineenses receberam formação

O CENJOR – Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas de Portugal ministrou uma Formação Pedagógica Inicial de Formadores a um total de 10 jornalistas e profissionais da comunicação social guineenses ligados as áreas técnicas. A formação decorreu entre os dias 6 a 24 de novembro de 2017, na sede do projeto UE-PAANE - Fase di Kambansa.
 
A formação, destinada a todos aqueles que pretendiam adquirir as aptidões pedagógicas necessárias para o exercício da atividade de formador, teve como objetivo que os participantes desenvolvessem competências para preparar, gerir, animar e avaliar, eficazmente, ações de formação na sua área específica de intervenção no âmbito da comunicação social. Desta feita, a atividade foi precedida de um processo seletivo.
 
O diretor da TV Comunitária Klelé, Demba Sanhá, considerou o processo formativo “muito bom”, sobretudo porque apresentou aos formandos uma perspetiva diferente daquilo que estão habituados a ter e fazer. “Capacitávamos os novos técnicos recrutados com base nos nossos conhecimentos, mas sem uma estratégia pedagógica de como poderíamos transmitir-lhes esses conhecimentos, e esta formação trouxe-nos isto. Este conhecimento que recebemos servirá para que possamos continuar a formá-los, tendo em conta outros elementos, como por exemplo, saber o perfil de entrada dos formandos, métodos para fazer com que os mesmos participem na formação, entre outros instrumentos que irão permitir que estes aprendam melhor”.
 
O curso, cujo programa está homologado pelo IEFP – Instituto de Emprego e Formação Profissional de Portugal, teve uma estrutura curricular dividida em 9 módulos com a duração total de 90 horas. 
 
“Foram abordados todos os conteúdos da mesma forma que em Portugal e, além disso, conseguimos superar o próprio âmbito do curso, porque criamos um projeto: os formandos constituíram-se enquanto grupo no sentido de organizarem eles próprios a formação para outros jornalistas”, afirmou o formador Victor Tomé. Em jeito de balanço, considerou que as expectativas em relação à formação foram “claramente ultrapassadas”, uma vez que “se formou um grupo, uma equipa muito interessante que colaborou e que cooperou – houve um espírito de entreajuda muito grande – e por isso conseguiu-se fazer o curso com muito sucesso”.
 
O projeto UE-PAANE - Fase di Kambansa é implementado na Guiné-Bissau pelo IMVF e financiado pela União Europeia. Saiba mais sobre este projeto aqui.

Voltar

Partilhar:
Homepage Imprimir Enviar

Saiba mais sobre o IMVF

Saiba mais sobre o IMVF

O mundo enfrenta hoje grandes desafios. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio estão apenas parcialmente cumpridos e as ameaças à segurança alimentar, ao fornecimento de energia, bem como as alterações climáticas exigem a mobilização de todos os cidadãos para lutar contra a pobreza.
O IMVF – Instituto Marquês de Valle Flôr é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) que acredita no esforço conjunto dos milhões de pessoas que em todo o Mundo procuram promover o desenvolvimento junto das populações mais carenciadas.