PT | EN


Ká Amubá - Promoção de Tecnologias de Economia Solidária em áreas de Quilombos, no Maranhão

Há 9 anos a intervir continuamente na região, o IMVF adquiriu um conhecimento próximo da realidade local. Numa aposta clara de colmatar vulnerabilidades ainda existentes, limitadoras de um progresso sustentável, o novo “Promoção de Tecnologias de Economia Solidária em áreas de Quilombos, no Maranhão” vem dar resposta a um apelo direto das comunidades de Quilombolas do Maranhão e, em particular, do principal parceiro local, a ACONERUQ - Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão.
Localização: Brasil, Estado do Maranhão (Maranhense dos Cocais, Baixo Parnaíba, Lençóis e Munin e Vale do Itaperucu)
Duração: 48 meses - abril 2013 a março 2017
Beneficiários:
Diretos: 300 Quilombolas (agricultores, criadores pecuários e extractivistas) das regiões do Estado do Maranhão acima referidas; 20 Quilombolas beneficiários do eixo de capacitação de técnicos agrários e sociais.
 
Indiretos: 1500 famílias e respetivas comunidades, cerca de 5390 pessoas.
Objetivos:
Geral: Contribuir para a redução da pobreza e para a promoção do desenvolvimento socioeconómico das comunidades Quilombolas do Estado do Maranhão, contribuindo para o alcance das metas estabelecidas pelos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio, designadamente o 1,3,4,5 e 7. 

Específico: Promover o aumento da geração de renda familiar e a melhoria das condições de salubridade das comunidades rurais Quilombolas do Maranhão, apostando no reforço das atividades produtivas locais com base em princípios de economia solidária e inclusão social.
 
Atividades:
Resultado esperado 1: Reforçar a capacidade de produção, transformação e comercialização de produtos locais.
Atividade 1: Capacitação do setor produtivo
A1.1: Elaboração de um diagnóstico socioeconómico;
A1.2: Apoio à criação de uma Cooperativa Agroextractivista Quilombola;
A1.3: Apoio à criação e equipamento de unidades de produção descentralizadas;
A1.4: Capacitação de técnicos agrários locais;
A1.5: Introdução de novas técnicas de produção adaptadas à transformação
 
Resultado esperado 2: Aumentar a capacidade de escoamento de produtos locais Quilombolas.
A2: Valorização dos produtos Quilombolas nos mercados locais;
A2.1: Capacitação dos agricultores em técnicos de transformação, gestão e comercialização;
A2.2: Incorporação de um selo Quilombola;
A2.3: Apoio à melhoria do acondicionamento dos produtos para venda;
A2.4: Criação de sinergias comerciais com entidades locais;
A2.5: Promoção de intercâmbios com experiências similares no Brasil.
 
Resultado esperado 3: Reforçar o papel da sociedade civil local para a promoção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária.
A3: Capacitação da sociedade civil local;
A3.1: Formação de animadores sociais em gestão e coordenação cooperativista;
A3.2: Capacitação das associações Quilombolas para uma gestão dos recursos naturais mais eficiente.
 
Resultado esperado 4: Melhorar as condições de salubridade das comunidades Quilombolas.
A4: Melhoria das condições de salubridade nas comunidades Quilombolas;
A4.1: Criação do Fundo Social no seio da Cooperativa;
A4.2: Instalação de kits sanitários;
A4.3: Sessões de educação para saúde.
 
A5: Acompanhamento e avaliação.
Parceiros:
ACONERUQ - Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão
Financiamento: União Europeia
Partilhar:
Homepage Imprimir Enviar
25 Jul 2017

2.º Comité de Pilotagem do projeto UE-PAANE - Fase di Kambansa

O 2.º encontro do Comité de Pilotagem do projeto UE-PAANE - Fase di Kambansa teve lugar no dia 19 de julho de 2017, na sede do projeto, em Bissau. Neste encontro, que contou com a presença de 11 dos 13 membros que formam o referido Comité, foram apresentadas as atividades desenvolvidas entre julho de 2016 e junho de 2017 no âmbito do projeto. Este é o segundo de 3 encontros do Comité de Pilotagem já realizados no decorrer da implementação do UE-PAANE - Fase di Kambansa.
20 Jul 2017

3 projetos plurianuais do IMVF vão receber financiamento do Camões, I.P.

No âmbito das candidaturas à Linha de Cofinanciamento de Projetos de Cooperação para o Desenvolvimento 2017, o IMVF viu aprovado financiamento por parte do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. para 3 projetos plurianuais, já contratualizados: em Cabo Verde, o Projeto de Dinamização e Requalificação Turística na Ilha do Maio, e na Guiné-Bissau os projetos Nô Fia Na Crias - Sistema Integrado Cooperativo e Comunitário de Produção Avícola, Caprina e Derivados para a Região de Cacheu e Etikapun n’há – Urok, Laboratório de Resiliência da Cultura Bijagó.
19 Jul 2017

Projeto Fruta Tropical Justa divulga estudo sobre pesticidas nas plantações de bananas no Equador

Este estudo, desenvolvido no âmbito da campanha Fruta Tropical Justa/ Make Fruit Fair, teve como objetivo averiguar as condições de vida e de trabalho, o bem-estar e a saúde de trabalhadores agrícolas e de pequenos agricultores em plantações de modo de produção biológico/justo e de trabalhadores em explorações convencionais, que usam biocidas, nas províncias de Los Rios e El Oro, no Equador, país considerado o maior exportador de bananas do mundo.
18 Jul 2017

UE-ACTIVA - Eixo 1: Governação Territorial financia projetos de 8 ONG guineenses

O programa UE-ACTIVA - Ações Coletivas e Territoriais Integradas para a Valorização da Agricultura - Eixo 1: Governação Territorial concedeu financiamento, no valor de cerca de 600 mil euros, a 8 Organizações Não Governamentais (ONG) da Guiné-Bissau, para a implementação de projetos de desenvolvimento agrícola nas regiões de Quinara, Tombali e Bafatá.
14 Jul 2017

Organizações selecionadas no âmbito do apoio do Gabinete de Apoio Permanente do projeto UE-PAANE – Fase di Kambansa

As 19 Organizações da Sociedade Civil (OSC) e Órgãos de Comunicação Social Comunitários (OCSC) de várias regiões da Guiné-Bissau foram selecionadas para beneficiarem dos apoios do Gabinete de Apoio Permanente (GAP) do projeto UE-PAANE – Fase di Kambansa.