PT | EN


Fruta Tropical Justa - Promover as frutas tropicais justas no Ano Europeu para o Desenvolvimento e pós-2015

Os supermercados e as empresas de frutas são os atores mais poderosos do mercado de fruta tropical. Esta ação aumenta a consciência dos cidadãos e dos consumidores da UE sobre a situação precária dos trabalhadores das plantações e pequenos agricultores que produzem frutas tropicais para o mercado da União Europeia. Em linha com a publicação "Uma Vida Digna para Todos", a ação mobiliza os cidadãos da União Europeia a consumir produtos justos e tomar medidas para assegurar padrões básicos de vida e trabalho digno para todos, o respeito pelos direitos humanos, relações comerciais mais justas e desenvolvimento sustentável através da melhoria institucional e políticas corporativas a nível da União Europeia e dos seus estados-membros.

Saiba mais em makefruitfair.org/pt-pt/
Localização: Portugal, Alemanha, Áustria, Bélgica, Camarões, Colômbia, Equador, França, Hungria, Itália, Letónia, Malta, Polónia, Reino Unido, República Checa, Roménia, São Vicente e Granadinas
Duração: 36 meses - março de 2015 a fevereiro de 2018
Beneficiários:
23 milhões de cidadãos e consumidores europeus (em particular, jovens e mulheres com filhos); 150 ativistas e técnicos de Organizações da Sociedade Civil nos estados-membros da União Europeia; 200 diretores de empresas (membros e sócios de cadeias de supermercados e companhias produtoras de fruta); 1300 decisores políticos da União Europeia e dos estados-membros; 5000 jornalistas.
Objetivos:
Geral: Contribuir para  políticas europeias de desenvolvimento mais coerentes e sustentáveis, incluindo as políticas dos estados-membros e do setor privado, integrando nas suas práticas,  os direitos humanos, o trabalho digno e o comércio justo, garantindo assim melhores condições de vida e condições de trabalho para os pequenos agricultores e trabalhadores do setor da fruta tropical. A ação contribui para estabelecer a agenda pós-ODM que visa proporcionar uma vida digna para todos até 2030. 

Específico: Sensibilizar, até 2018, 23 milhões de consumidores e cidadãos em pelo menos 20 estados-membros sobre as interdependências entre a União Europeia e os países em desenvolvimento que exportam frutas tropicais e mobilizar 200 mil cidadãos para agir e exigir aos decisores políticos e corporativos que assegurem condições de trabalho justas para o setor da fruta tropical.
Atividades:
Resultado Esperado 1: Capacitação - 150 multiplicadores de pelo menos 20 estados-membros formados pela Campanha “Fruta Tropical Justa”  

Atividade 1.1: Organizar duas mesas redondas de um dia (uma em Riga, uma em Estugarda) para pelo menos 20 Organizações da Sociedade Civil (OSC);
A1.2: Desenvolver um currículo formativo;
A1.3: Produzir materiais de formação e diretrizes sobre os temas da campanha;
A1.4: Executar quatro formações a nível da União Europeia de dois dias para técnicos das OSC, multiplicadores e ativistas;
A1.5: Organizar 22 formações nacionais para multiplicadores e ativistas.
 
Resultado Esperado 2: Media - uma forte campanha de comunicação sensibilizou 20 milhões de consumidores e cidadãos europeus sobre os temas abordados pela Campanha “Fruta Tropical Justa”.

A2.1: Organizar uma conferência de imprensa centralizada em Bruxelas no âmbito do Ano Europeu do Desenvolvimento (AED) 2015;
A2.2: Organizar 11 eventos com media (reuniões / conferências / workshops) a nível nacional;
A2.3: Divulgar 64 comunicados de imprensa, incluindo nove sobre questões europeias relacionadas com o tema do projeto;
A2.4: Produzir 18 briefings para a imprensa (em papel) a nível nacional;
A2.5: Organizar entrevistas com a imprensa;
A2.6: Organizar 11 exposições fotográficas;
A2.7: Organizar três viagens de jornalistas de uma semana para 12 jornalistas a países produtores na América Latina e África Subsaariana.

Resultado Esperado 3: Campanha - uma campanha pan-europeia de sensibilização melhorou a compreensão crítica de 3 milhões de consumidores e cidadãos de pelo menos 20 estados-membros sobre temas do desenvolvimento chave nas cadeias de fornecimento de fruta justa e mobilizou 200 mil a agir em prol de condições mais justas no setor da fruta tropical.

A3.1: Adaptar e traduzir o logotipo do projeto;
A3.2: Elaborar cinco estudos de caso sobre as cadeias de valor/atores corporativos/alternativas de comércio justo;
A3.3: Produzir e utilizar ferramentas online para as redes sociais;
A3.4: Produzir e traduzir ferramentas e materiais impressos;
A3.5: Organizar uma petição online centralizada;
A3.6: Organizar pelo menos 12 apelos urgentes para ação;
A3.7: Apresentar o projeto em 91 seminários/palestras para professores, estudantes, conferências, etc.;
A3.8: Organizar 85 stands em feiras, exposições, conferências a nível nacional;
A3.9: Organizar um evento público (Flash Mob) dentro EXPO 2015, em Milão e um stand de informação por 30 dias;
A3.10: Organizar 50 ações públicas durante as comemorações de Dias Internacionais;
A3.11: Organizar seis tours para oradores do Sul;
A3.12: Produzir e divulgar uma curta-metragem para destacar os temas do projeto e do AED 2015;
A3.13: Criar uma plataforma opensource com imagens, histórias para outras OSC, multiplicadores, etc.;
A3.14: Estabelecer um esquema de sub-granting para as OSC.

Resultado Esperado 4: Advocacy - 200 líderes empresariais e 1.300 decisores políticos nos estados-membros e a nível europeu são envolvidos na ação e chamados a agir para assegurar condições justas no setor da fruta tropical.

A4.1: Monitorizar os processos políticos importantes, incluindo o UNGP - United Nations Guiding Principles on Business and Human Rights a nível da União Europeia e dos estados-membros, especialmente através do apoio a pesquisa jurídica;
A4.2: Produzir 10 briefings para eurodeputados e deputados;
A4.3: Acompanhar 119 atividades de advocacy dirigidas a decisores políticos da União Europeia e dos estados-membros;
A4.4: Organizar uma viagem aos Camarões para quatro eurodeputados de diferentes países;
A4.5: Organizar dois seminários de meio-dia em Bruxelas para cerca 20 eurodeputados;
A4.6: Executar 124 discussões bilaterais com os decisores de empresas;
A4.7: Organizar uma conferência de multistakeholders pan-Europeus em Bruxelas para destacar o AED 2015;
A4.8: Organizar dois encontros nacionais multistakeholder para apresentar os resultados da investigação em alemão e italiano;
A4.9: Participar regularmente nas reuniões dos grupos do World Banana Forum (WBF) e na Conferência Global em 2016.
 
Resultado Esperado 5: Trabalho em rede - uma estrutura sustentável de uma rede pan-europeia de Organizações da Sociedade Civil que cobre pelo menos 20 estados-membros para fazer lobby e campanhas em prol de uma cadeia de fornecimento de fruta tropical mais justa é desenvolvida.

A5.1: Envolver mais membros nas atividades da EUROBAN - European Banana Action Network, especialmente dos novos estados-membros;
A5.2: Configurar uma subseção da EUROBAN no website do projeto;
A5.3: Organizar duas reuniões da EUROBAN por ano;
A5.4: Desenvolver uma estratégia de captação de recursos sustentáveis para garantir a existência da rede EUROBAN depois do fim do projeto;
A5.5: Assegurar a representação da EUROBAN em conferências e reuniões internacionais;
A5.6: Fortalecer a participação da sociedade civil e apoiar os membros da EUROBAN e dos parceiros do Sul para participarem no World Banana Forum (WBF).

Resultado Esperado 6: Gestão de projeto - um sistema para uma eficaz e eficiente implementação, comunicação, visibilidade, monitorização e avaliação do projeto é estabelecido.

A6.1: Organizar um encontro inicial (quatro dias);
A6.2: Organizar quatro reuniões de coordenação e avaliação (Bolonha, Bruxelas, Viena e Berlim);
A6.3: Organizar teleconferências mensais;
A6.4: Assegurar a participação dos técnicos do projeto nas formações e seminários;
A6.5: Implementar três auditorias;
A6.6: Realizar uma avaliação externa final;
A6.7: Participação do coordenador geral nos encontros anuais da União Europeia em Bruxelas e preparação anual de resumos de estudos de caso para a União Europeia;
A6.8: Desenvolver e implementar um plano de visibilidade baseado nas diretrizes de visibilidade da União Europeia.
Parceiros:
Oxfam Deutschland (Alemanha), Asociatia Mai Bine (Roménia) BanaFair e.V. (Alemanha); Banana Link (Reino Unido); Ecumenical Academy Prague (República Checa); Fako Agricultural Workers Union (Camarões); finep (Alemanha); GVC (Itália); Koperattiva Kummerċ Ġust (Malta); Peuples Solidaires (França); Sindicato Nacional de Trabajadores de la Industria Agropecuaria (Colômbia); Stichting Fair Trade Advocacy Office: ftao (Bélgica); Südwind Agentur (Áustria); Unión Regional de Organizaciones Campesinas del Litoral (Equador); Windward Islands Farmers’ Association (São Vicente e Granadinas); Green Liberty (Letónia); Alliance of Associations Polish Green Network (Polónia); Association of Conscious Consumers (TVE) (Hungria)
Media:
19/07/2017 - Projeto Fruta Tropical Justa divulga estudo sobre pesticidas nas plantações de bananas no Equador
05/07/2017 - Projeto Fruta Tropical Justa divulga Media Briefing
23/06/2017 - Projeto Fruta Tropical Justa divulga Guia Prático para Campanhas
24/05/2017 - Projeto Fruta Tropical Justa promoveu campanha #AskLidl
14/03/2017 - A História da Banana: documentário interativo do projeto Fruta Tropical Justa
22/02/2017 - Projeto Fruta Tropical Justa: estarão os direitos laborais na América Central protegidos pelos novos proprietários da Fyffes?


02/12/2016 - Fruta Tropical Justa: Em Portugal 806 pessoas assinaram a petição “Lidl, queremos um jogo justo!”
30/11/2016 - Projeto Fruta Tropical Justa divulga campanha-vídeo
21/11/2016 - Kozel Fraser defendeu um sistema de produção e consumo ético no seminário "Autarquias locais rumo a 2030: diálogos para o desenvolvimento"
10/11/2016 - Fruta Tropical Justa: Portugal recetivo a compras responsáveis
02/11/2016 - Fruta Tropical Justa: reunião EUROBAN e de coordenação do projeto em Viena
21/10/2016 - Porta-voz da campanha "Fruta Tropical Justa" visita Portugal: um roteiro para compras justas
08/10/2016 - Fruta Tropical Justa: Caribe vem a Portugal para compras justas
21/09/2016 - Fruta Tropical Justa: ação de rua decorreu durante o evento VFNO 2016
21/06/2016 - Projeto Fruta Tropical Justa: petição “Lidl, queremos um jogo justo!” continua a decorrer
30/05/2016 - Projeto Fruta Tropical Justa lança campanha "Preparados para o jogo justo?"
21/04/2016 - Fruta Tropical Justa: ação de rua alerta para práticas comerciais injustas no setor
14/03/2016 - Fruta Tropical Justa: parceiros do projeto estiveram reunidos em formação

 

09/11/2015 - Fruta Tropical Justa: apresentação em Bruxelas do relatório sobre Práticas Comerciais Injustas na Europa
15/10/2015 - “Alguém paga sempre o preço”: vídeo do projeto Fruta Tropical Justa apela à adoção de práticas mais justas no setor
10/07/2015 - Projeto Fruta Tropical Justa em destaque no Minuto Verde na RTP 1
27/03/2015 - Lançamento oficial do projeto Fruta Tropical Justa em Berlim
31/08/2015 - Quatro projetos de Cooperação para o Desenvolvimento e de Educação para a Cidadania Global tiveram início em 2015
16/01/2015 - Dois novos projetos de Educação para a Cidadania Global têm início em março de 2015
Partilhar:
Homepage Imprimir Enviar
19 Jan 2018

Projeto Economia Social e Solidária apresenta policy paper em Bruxelas

Na próxima terça-feira, dia 23 de janeiro de 2018 será apresentado no Parlamento Europeu, em Bruxelas, o policy paper "Maximizar a Dignidade através da Economia Social e Solidária", promovido pelo consórcio SUSY, constiuído por 26 parceiros de 23 países europeus.  A apresentação será transmitida via live streaming através da página de Facebook  do projeto a partir das 10 horas.
15 Jan 2018

Lançamento oficial do Projeto de Turismo Solidário e Comunitário na Ilha do Maio, em Cabo Verde

O evento que marca o arranque oficial do Projeto de Turismo Solidário e Comunitário na Ilha do Maio vai decorrer no próximo dia 16 de janeiro, às 16 horas, no Salão Nobre Isaac Pinheiro, nos Paços do Concelho da Câmara Municipal do Maio, em Cabo Verde.
11 Jan 2018

UE-PAANE: Sindicato do setor da saúde capacitado em ação sindical e advocacia

Teve lugar entre os dias 11 e 15 de dezembro de 2017, na sede do UE-PAANE, a formação em “Ação Sindical e Advocacia no Âmbito da Saúde”. A atividade aconteceu no quadro do Gabinete de Apoio Permanente (GAP) do UE-PAANE - Fase di Kambansa e reuniu 28 sindicalistas membros do SINETSA – Sindicato Nacional dos Enfermeiros, Técnicos de Saúde e Afins. 
11 Jan 2018

UE PAANE: RENAJ projeta ações para os próximos 5 anos

O Gabinete de Apoio Permanente (GAP) do UE-PAANE - Fase di Kambansa colocou em prática mais uma ação: trata-se da assistência técnica e formação dada à Rede Nacional das Associações Juvenis – RENAJ para a elaboração do seu novo plano estratégico (o último vigorou até 2015). A atividade teve lugar entre os dias 4 e 12 de dezembro de 2017, na sede do UE-PAANE, e contou com a presença de 20 participantes. 
21 Dec 2017

Montemor-o-Novo recebe sessão sobre Economia Social e Solidária e Desenvolvimento Sustentável

Como podemos promover a Economia Social e Solidária (ESS) nos processos de Desenvolvimento Local e Global? Qual a importância da ESS na nova Agenda de Desenvolvimento 2030? Como podemos potenciar a aplicação da ESS em projetos atuais e futuros? Venha descobrir a resposta a estas e outras questões no próximo dia 19 de janeiro de 2018, a partir das 10h, no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Faria em Montemor-o-Novo.