PT | EN

Cultura

 

Os Sítios Sagrados no Arquipelágo dos Bijagós

A enorme riqueza dos espaços naturais do arquipélago ainda preservado até aos nossos dias só foi possível graças à noção particular do sagrado e do seu aproveitamento para regular a ação predatória do Homem e regular o comportamento individual e as relações que se estabelecem na sociedade. Este estudo foi elaborado no âmbito do projeto “Bijagós, Bemba di Vida! Ação cívica para o resgate e valorização de um património da humanidade” implementado na Guiné-Bissau pelo IMVF e pela Tiniguena e cofinanciado pela União Europeia e pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. Saiba mais aqui. E-Publicação aqui.
 

Inventário sobre Artesanato, Dança e Cantiga Bijagó

A enorme riqueza do Arquipélago dos Bijagós não se limita aos recursos naturais, devendo ser resgatado e promovido o imenso património histórico, arquitetónico e cultural existente na região. Este estudo foi elaborado no âmbito do projeto “Bijagós, Bemba di Vida! Ação cívica para o resgate e valorização de um património da humanidade” implementado na Guiné-Bissau pelo IMVF e pela Tiniguena e cofinanciado pela União Europeia e pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. Saiba mais aqui. E-Publicação aqui.
 

Estórias do Chão de Urok - Histórias Tradicionais das ilhas Urok

É de crenças, mitos e valores da etnia Bijagó que tratam as cinco histórias tradicionais apresentadas neste livro. Sem pretensão de dar lições ou ensinamentos esta recolha inédita permite ao leitor conhecer um pouco mais das tradições e histórias locais que dão pistas sobre a origem dos Bijagós e as Tabancas em Urok, preservando um importante legado cultural de toda uma etnia. Publicação desenvolvida no âmbito do projeto "Urok Osheni! Conservação, desenvolvimento e soberania nas Ilhas Urok", na Guiné-Bissau.
 

Projeto Urok Osheni! Conservação, Desenvolvimento e Soberania nas ilhas Urok

Brochura de apresentação do projeto "Urok Osheni! Conservação, Desenvolvimento e Soberania nas ilhas Urok" desenvolvido entre janeiro de 2010 março de 2013 pelo IMVF em estreita parceira com a ONG guineense Tiniguena e cofinanciado pela União Europeia e pela Cooperação Portuguesa.
 

Diálogos Interculturais: de África para o Brasil e o Regresso às Origens

Um documento que traça a rota transatlântica do negócio de escravos, revelando a origem dos negros traficados para o Brasil, o aparecimento do chamado Quilombo - pequenas concentrações de escravos fugidos como forma de resistência à escravidão - e as características do ser Quilombola nos dias de hoje. Uma coletânea de pesquisas realizadas simultaneamente no Brasil, Cabo verde e Guiné-Bissau no âmbito do projeto "O percurso dos Quilombos: de África para o Brasil e o regresso às origens".
 

Folheto A Força dos Tambores Quilombolas

Com o projeto “O Percurso dos Quilombos: de África para o Brasil e o regresso às origens” IMVF, em parceria com a ACONERUQ (Associação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas do Maranhão), a Plataforma das ONG de Cabo Verde e a ONG Guineense AD - Acção para o Desenvolvimento, aspiram enriquecer o diálogo intercultural através da protecção, valorização e difusão da cultura Quilombola. Saiba mais sobre este projeto aqui

Partilhar:
Homepage Imprimir Enviar

Saiba mais sobre o IMVF

Saiba mais sobre o IMVF

O mundo enfrenta hoje grandes desafios. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio estão apenas parcialmente cumpridos e as ameaças à segurança alimentar, ao fornecimento de energia, bem como as alterações climáticas exigem a mobilização de todos os cidadãos para lutar contra a pobreza.
O IMVF – Instituto Marquês de Valle Flôr é uma Organização Não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) que acredita no esforço conjunto dos milhões de pessoas que em todo o Mundo procuram promover o desenvolvimento junto das populações mais carenciadas.