Desenvolvimento rural, segurança alimentar e nutricional, economia social e solidária, desenvolvimento sustentável, justiça social, direitos humanos, direitos laborais e comércio justo são as principais temáticas associadas aos mais recentes projetos que tiveram início em 2015 e que estão a ser implementados pelo IMVF e cofinanciados pela União Europeia, nas vertentes de Cooperação para o Desenvolvimento e de Educação para a Cidadania Global, na Guiné-Bissau e em Portugal.

Na Guiné-Bissau, os dois projetos de Cooperação para o Desenvolvimento, “Nô Fia Na Crias – Sistema Integrado Cooperativo e Comunitário de Produção Avícola, Caprina e Derivados para a Região de Cacheu” e “UE-ACTIVA – Ações Comunitárias Territoriais Integradas de Valorização Agrícola – Eixo 1: Governação Territorial” tiveram início em julho de 2015. O primeiro tem como objetivos contribuir para a segurança alimentar e nutricional de forma a alcançar a soberania alimentar na região de Cacheu através do estabelecimento da fileira de produção avícola e caprina sustentável e desenvolver um sistema integrado cooperativo e comunitário de produção avícola, caprina e derivados para aumentar a disponibilidade e o acesso a fontes proteicas e contribuir para a melhoria das condições de vida dos criadores pecuários. O segundo tem como objetivos contribuir para a melhoria das condições económicas e sociais da população da Guiné-Bissau, em particular, das regiões de Cacheu, Bafatá, Gabu, Quinara e Tombali e promover a melhoria da governação territorial nas regiões de Bafatá, Quinara e Tombali.

O projetos de Educação para a Cidadania Global “Economia Social e Solidária” e “Fruta Tropical Justa – Promover as Frutas Tropicais Justas no Ano Europeu para o Desenvolvimento e Pós-2015” tiveram início em fevereiro e em março de 2015 respetivamente. O primeiro tem como objetivos sensibilizar a opinião pública sobre a luta contra a pobreza global e sobre o papel que a Economia Social e Solidária pode desempenhar nesta “luta” através da criação de relações justas entre países desenvolvidos e em desenvolvimento, promovendo a justiça social, os direitos humanos e modos de vida sustentáveis.

O projeto “Fruta Tropical Justa” é um consórcio global que reúne 19 parceiros da União Europeia, Camarões, Colômbia, Equador e ilhas Windward e que é implementado em Portugal pelo IMVF. Este projeto tem como principal objetivo alertar as grandes cadeias de supermercados e empresas de frutas da União Europeia sobre as condições precárias dos trabalhadores das plantações e pequenos agricultores que produzem frutas tropicais para o mercado europeu. Até novembro de 2015 vai estar a decorrer a assinatura da petição “Fim às práticas comerciais injustas. Queremos Fruta Justa!” que pretende alertar para a promoção de uma cadeia de distribuição justa e sustentável de fruta, em particular da banana e do ananás, para a defesa dos direitos sociais e ambientais nos países produtores e para a criação de oportunidades para que os representantes dos países produtores possam expressar as suas preocupações e encorajar novas políticas e práticas de comércio internacional.

Atualmente, o IMVF tem em curso 17 projetos nos diferentes países da CPLP, intervindo nas áreas de saúde, educação, desenvolvimento rural, fortalecimento institucional, sustentabilidade ambiental, identidade cultural, cidadania global, cooperação descentralizada e estudos estratégicos.