A equipa do projeto Make Fruit Fair /Fruta Tropical Justa percorreu, no dia 20 de abril de 2016, as ruas da baixa lisboeta, numa iniciativa que abrangeu mais de 1000 pessoas e que pretendeu alertar para a violação dos direitos sociais e ambientais dos trabalhadores do setor da fruta tropical e para a necessária defesa do comércio justo, assinalando o Dia da Banana.

Facilmente reconhecíveis, vestidos com fatos de banana, os elementos envergaram cartazes com frases-chaves de apoio à campanha: “Juntos na Promoção dos Direitos Humanos!”, “Compras Justas, Vidas Dignas!”, “Banana a Preço Justo!”, “Fruta Tropical + Justa e Sustentável!” e “Fim às Práticas Comerciais Injustas!” e convidando as pessoas a tirarem fotografias e distribuindo materiais sobre o projeto. O objetivo: chamar a atenção para a necessidade de assegurar o pagamento de um preço justo pela fruta tropical, neste caso a banana, de forma a que os trabalhadores do setor tenham condições de trabalho decente e que os seus direitos humanos e laborais sejam respeitados, que se impeça o abuso de poder de compra dos supermercados e que se implementem politicas de produção que respeitem o ambiente.

Sabe que a banana é uma das frutas mais consumidas do mundo? E sabia que os direitos básicos de milhares de produtores e trabalhadores de frutas tropicais, como a manga, a banana e o ananás não são respeitados? O projeto Make Fruit Fair / Fruta Tropical Justa, implementado em Portugal pelo IMVF, defende uma cadeia de distribuição justa e sustentável de fruta, para a defesa dos direitos sociais e ambientais nos países produtores. O projeto visa a criação de oportunidades para que os representantes dos países produtores possam expressar as suas preocupações e encorajar novas políticas e práticas de comércio internacional.

A banana é uma das frutas mais vendidas pelos países em desenvolvimento, mas também a mais consumida na Europa e na América do Norte. Durante décadas, a economia da banana tem sido um dos exemplos chave de comércio injusto. A concentração de poder nas mãos de algumas empresas multinacionais tem afetado negativamente a vida de milhares de pequenos agricultores e trabalhadores do setor bananeiro. Mais recentemente, o crescimento do poder de mercado dos revendedores e a competição entre grandes empresas de fruta para manterem os seus fornecedores preferenciais tem levado as cadeias de venda de banana a serem fortemente orientadas por supermercados, principalmente na Europa.

Para dar voz à justiça social, um consórcio de Organizações da Sociedade Civil europeia tem vindo a promover a campanha Make Fruit Fair/ Fruta Tropical Justa, de forma a consciencializar os cidadãos para os problemas sociais e ambientais associados à produção e ao comércio de banana (e ananás). Os apoiantes desta causa têm sido encorajados a responder a apelos de ação urgente, nomeadamente ao nível da liberdade de associação, da discriminação no local de trabalho, e de salários decentes para os trabalhadores das plantações.

Mais informações sobre o projeto aqui.