Até o dia 1 de outubro de 2016 estará a decorrer a petição “Lidl, queremos um jogo justo!”, cujo objetivo é promover a justiça social em toda e para toda a cadeia de abastecimento da fruta tropical – do campo até à prateleira do supermercado. Pagar um preço justo, respeitar os direitos humanos e laborais são a chave de sucesso para uma produção sustentável.

Esta iniciativa decorre no âmbito do projeto Make Fruit Fair / Fruta Tropical Justa, implementado em Portugal pelo IMVF. Mais recentemente, o Parlamento Europeu mostrou também a sua preocupação em relação às práticas comerciais desleais.

No dia 7 de junho de 2016, os deputados ao Parlamento Europeu votaram favoravelmente o relatório “Unfair trading practices in the food supply chain”, da autoria do eurodeputado polaco Edward Czesak. Desta forma, apela-se à ação da União Europeia para ajudar agricultores a combater práticas comerciais desleais.

Segundo um relatório da consultora Europe Economics, práticas como atrasos nos pagamentos, mudanças retroativas nos contratos e cancelamentos injustificados de contratos têm um custo estimado para os fornecedores de 30 a 40 mil milhões de euros por ano. Além disso, num inquérito realizado em 2011 pela Confederação das Indústrias Agro-Alimentares da União Europeia e pela Associação de Marcas Europeias, 96% dos inquiridos na cadeia de abastecimento alimentar afirmaram que já foram alvo de algum tipo de prática comercial desleal.

A equipa de Cidadania Global do IMVF congratula os eurodeputados portugueses que se mobilizaram na defesa de práticas comerciais justas e no estabelecimento de relações comerciais justas na cadeia de abastecimento. “Esperamos agora que a Comissão Europeia adote uma diretiva clara, em que os Direitos Humanos são alicerçados em todas as práticas na cadeia de abastecimento”, acrescenta a equipa.

Saiba mais sobre a campanha “Preparados para o jogo justo?” aqui e assine a petição aqui.