PIMI – Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil: Componente de Reforço da Disponibilidade e Qualidade dos Cuidados de Saúde Materno-Infantis

Guiné-Bissau: Regiões Sanitárias de Cacheu, Biombo, Farim e Oio

Tendo em consideração as principais dificuldades do sistema sanitário na Guiné-Bissau ao nível dos cuidados materno-infantis, a União Europeia (UE) desenhou em colaboração com os parceiros do projeto o Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil (PIMI) nas regiões sanitárias de Cacheu, Biombo, Oio e Farim, inteiramente enquadrado nos objetivos e eixos de intervenção do Plano Operacional de Passagem à Escala Nacional das Intervenções de Alto Impacto relativamente à redução da mortalidade materna e infantil na Guiné-Bissau (POPEN).

Para este efeito, o PIMI assenta nas Intervenções de Alto Impacto previstas no POPEN, estruturadas em 3 pacotes de cuidados prestados de forma integrada a mulheres e crianças, antes e durante períodos de alto risco tais como gravidez, parto, período de pós-parto e pequena infância (até aos 5 anos) – Práticas Familiares Essenciais (PFE), Pacote Mínimo de cuidados (PM) e Pacote Complementar de cuidados (PC) – através das estratégias fixa, avançada e móvel.

A implementação do PIMI será assegurada por 3 atores principais: IMVF, Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e Entraide Médicale Internacional (EMI). Em estreita articulação entre si, estas entidades vão contribuir para o alcance dos resultados traçados.

BENEFICIÁRIOS:

Diretos: 90.341 crianças até 5 anos de idade e as 116.911 mulheres em idade fértil das regiões-alvo. Por outro lado, a ação beneficiará diretamente os cerca de 255 profissionais de saúde das 45 estruturas sanitárias (centros de saúde e hospitais) das regiões em questão.

Indiretos: Pelo menos os 531.415 habitantes das 4 regiões sanitárias.

OBJETIVOS:

Geral: Contribuir para a redução das mortalidades materna, neonatal e infanto-juvenil nas 4 regiões sanitárias referidas e, em particular, para o alcance das metas traçadas nos ODM. No entanto, dada a evolução registada até ao momento, o PIMI terá como metas a redução das taxas de mortalidade materna e infanto-juvenil para níveis ajustados, designadamente 108‰ e 777/100.000, respetivamente

Específico: Assegurar e perenizar um melhor acesso a cuidados de saúde de qualidade a mulheres grávidas e puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças até aos 5 anos naquelas regiões.
 

ATIVIDADES:

Resultado esperado 1: Medicamentos e consumíveis médicos essenciais disponíveis em permanência.
Atividade 1.1: Adquirir e assegurar a logística para medicamentos e outros insumos médicos;
A1.2: Distribuir medicamentos e outros insumos médicos;
A1.3: Assegurar a gestão dos medicamentos prescritos.
Resultado esperado 2: Procura de serviços de saúde que oferecem às Intervenções de Alto Impacto (IAI) aumentada.
A2.1: Melhorar a acessibilidade financeira às IAI;
A2.2: Melhorar a acessibilidade cultural às IAI (Comunicação para o Desenvolvimento);
A2.3: Facilitar o transporte de grávidas e crianças até aos 5 anos de idade de acordo com as necessidades.

Resultado esperado 3: 16 Práticas Familiares Essenciais (PFE) promovidas.
A3.1: Redigir e implementar o quadro regulamentar e operacional dos Agentes de Saúde Comunitária (ASC);
A3.2: Formar os ASC nas FFE;
A3.3: Gerir, supervisionar e avaliar os ASC;
A3.4 – Assegurar a fidelização dos ASC.

Resultado esperado 4: Centros de Saúde e Hospitais Regionais asseguram os Pacote Mínimo (PM) e o Pacote Complementar (PC) de cuidados materno-infantis.
A4.1: Implementar o PM ao nível da estratégia fixa, móvel e avançada;
A4.2: Implementar o PC ao nível da estratégia fixa;
A4.3: Formar, gerir e fidelizar os profissionais das unidades de saúde que prestam os PM e os PC de cuidados materno-infantis;
A4.4: Reabilitar e equipar 45 unidades de saúde, entre Centros de Saúde, Hospitais Regionais e Hospitais de referência de acordo com as necessidades.

Resultado esperado 5: Gestão e coordenação de serviços de saúde melhorados. 
A5.1: Reforçar a planificação, seguimento e avaliação;
A5.2: Reforçar a coordenação e regulação no setor da saúde;
A5.3: Monitorar e avaliar o PIMI.

PARCEIROS:

  • Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF)
  • Entraide Médicale Internationale (EMI)

VÍDEOS

Explore a playlist no YouTube do projeto