PIMI III+

Novos Horizontes para Cuidados Especializados e Telemedicina na Guiné-Bissau

Guiné-Bissau

De acordo com a OMS, “As tecnologias digitais são uma componente essencial e um potenciador da sustentabilidade dos sistemas de saúde e da Cobertura Universal de Saúde” (Global strategy on digital health 2020-2025). É nesse sentido que o IMVF tem vindo, através dos seus projetos, a apostar na telemedicina, enquanto ferramenta que permite ultrapassar os estrangulamentos dos sistemas de saúde e resolver problemas relacionados com a falta de profissionais, bem como necessidades formativas e assistenciais, permitindo reforçar progressivamente as capacidades e autonomia dos profissionais de saúde em múltiplos domínios da cadeia de cuidados de saúde.

Considerando as carências de assistência especializada enfrentadas pela Guiné-Bissau, o Projeto PIMI III + propõe-se a implementar um sistema de telemedicina no país, que irá integrar equipamentos e meios complementares de diagnóstico de 10 especialidades médicas. Esta plataforma servirá não apenas para apoiar a realização de diagnósticos e consultas, mas também para a formação contínua dos profissionais de saúde locais, contribuindo assim para melhorar a prestação de cuidados no país, através da melhoria da capacidade de diagnóstico, assistência e formação dos profissionais de saúde.

A par da telemedicina, o PIMI III + irá promover a realização de missões médicas de curta duração, com o intuito de prestar assistência especializada e formar in loco os profissionais de saúde locais, em complemento da formação e apoio prestado à distância, através da plataforma supramencionada.

Este projeto será implementado com o financiamento da Cooperação Portuguesa e com a parceria do Hospital Militar Principal da Guiné-Bissau (HMP).

OBJETIVOS:

Global: Contribuir para a melhoria da prestação dos cuidados de saúde na Guiné-Bissau.

Específico: Reforçar a capacidade de diagnóstico, assistência e formação presencial e à distância do Hospital Militar Principal da Guiné-Bissau (HMP).

GRUPOS-ALVO:

Profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, parteiras, técnicos de laboratório, farmacêuticos, técnicos), de administração, de gestão, de sistema de informação e técnicos de electromedicina e/ou de manutenção de equipamentos de saúde afetos ao Hospital Militar Principal da Guiné-Bissau (HMP).

BENEFICIÁRIOS FINAIS:

Toda a população guineense: 2.105.566 habitantes (2022)

NOTÍCIAS