Com o objetivo de monitorizar o estado de implementação das atividades do PIMI II – Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil, na Guiné-Bissau, 5 peritos da União Europeia das áreas da saúde pública, saúde materna, saúde infantil, economia da saúde e saúde comunitária realizaram a 1.ª missão de assistência técnica ao projeto.

Entre 13 de junho e 7 de julho decorreram reuniões com as 3 entidades implementadoras do projeto (IMVF, UNICEF e EMI), com diversas instituições do setor da saúde, a nível nacional e regional, e com os beneficiários do projeto.

Os peritos da União Europeia visitaram unidades de saúde em 3 das 11 regiões sanitárias do país: Bafatá, Cacheu e Setor Autónomo de Bissau. Em conformidade, em Bafatá, visitaram o Hospital Regional de Bafatá e o Centro de Saúde de Bambadinca; em Cacheu, visitaram o Hospital Regional de Canchungo e o Centro de Saúde de Có; e por fim, no Setor Autónomo de Bissau visitaram o Centro de Saúde de Plack II e o Centro de Saúde de Belém.

Esta foi a 1.ª de 4 missões de assistência técnica da União Europeia que irão ocorrer ao longo dos próximos 3 anos do projeto.

O PIMI II tem como objetivos contribuir para a redução das mortalidades materna, neonatal e infantojuvenil na Guiné-Bissau e, em particular, para o alcance das metas traçadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e assegurar um melhor acesso a cuidados de saúde de qualidade a mulheres grávidas e puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças até aos 5 anos na Guiné-Bissau.

O programa beneficia diretamente cerca de 200 mil crianças menores de 5 anos, cerca de 300 mil mulheres em idade fértil e 70 mil mulheres grávidas, e 950 profissionais de saúde das 117 áreas sanitárias do país.

A componente a cargo do IMVF neste projeto é financiada pela União Europeia e conta com o apoio do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua I.P.