O Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF) e a Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) vão realizar a 1.ª edição das Jornadas de Dermatologia da Lusofonia, entre 16 e 20 de julho de 2018, em São Tomé e Príncipe.

Este encontro e as atividades que nele se inserem têm como objetivo dinamizar a troca de conhecimentos e experiências entre dermatologistas de Portugal, Angola e Moçambique; melhorar o acesso a cuidados dermatológicos em locais onde o acesso é escasso ou nulo; promover a saúde dos albinos na África de expressão portuguesa com ações de profilaxia, diagnóstico precoce e tratamento do cancro cutâneo, além de campanhas destinadas a mudar a discriminação a que as pessoas afetadas por esta doença são sujeitas.

Nos dias 18, 19 e 20 de julho, da parte da tarde, decorrerá o encontro científico, no Centro Cultural Português em São Tomé, durante o qual será abordada a experiência europeia e africana. Ao longo da semana, de 16 a 20 de julho decorrerá a assistência médica à população, com consultas e tratamentos nos vários distritos de São Tomé e na ilha do Príncipe, com equipas conjuntas de dermatologistas dos diferentes países. Neste período serão observados e tratados os doentes albinos residentes em São Tomé e será dada formação sobre a profilaxia e o tratamento precoce de cancro de pele a essa população e aos seus familiares.

Os médicos que irão participar neste encontro são o Dr. António Massa (Porto), a Dr.ª Evelina Ruas (Coimbra), o Dr. Paulo Lamarão (Loures), o Dr. Miguel Correia (Lisboa), o Dr. João Maia e Silva (Lisboa), a Dr.ª Rolanda Manuel e a Dr.ª Gilda Luciano (Maputo, Moçambique) e a Dr.ª Isabel Neto e o Dr. Juliano Isaías (Luanda, Angola).

Este Encontro conta com apoio dos laboratórios Pierre Fabre, Cantabria Labs, Filorga, Bailleul e Galderma e é organizado no âmbito do projeto Saúde para Todos – Rumo à Sustentabilidade implementado pelo IMVF, pela Associação Marquês de Valle Flôr (AMVF) e pelo Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe, sendo cofinanciado pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua I.P. e pela Direção Geral da Saúde de Portugal.