O IMVF participou no almoço-debate organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Colombiana (CCILC), subordinado ao tema “Relação bilateral Portugal-Colômbia no contexto da América Latina – Perspetivas Futuras”, com a presença do Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, e da Embaixadora da Colômbia em Portugal, Carmenza Jaramillo, que teve lugar no dia 3 de abril de 2019, ao 12h30, no Espaço Espelho D´Água (Av. Brasília, Belém, Lisboa).

O Presidente do Conselho de Administração do IMVF, Paulo Telles de Freitas e a Administradora Executiva e Diretora de Novas Parcerias e Comunicação, Carolina Quina apresentaram o trabalho do IMVF na Colômbia no âmbito do projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá, implementado desde janeiro de 2018, nos municípios de El Paujil e La Montañita, no Departamento de Caquetá, cujo principal objetivo é o de contribuir para o estabelecimento de uma paz estável e duradora na Colômbia, através do fortalecimento do desenvolvimento socioeconómico e ambiental dos territórios amazónicos no pós-conflito.

Este projeto constitui uma aposta de construção de desenvolvimento, paz e cultura de legalidade pós-conflito, em cumprimento do Acordo de Paz (que acaba com meio século de confrontos entre o governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – FARC-EP).

O IMVF coloca ao serviço deste projeto a sua experiência nas áreas do desenvolvimento rural e da agricultura tropical, da reabilitação/construção de infraestruturas sociais básicas, do fortalecimento da sociedade civil e dos governos locais, assim como da agroindústria e do associativismo. A Red Adelco, parceiro colombiano, contribui com a sua experiência nacional na promoção do desenvolvimento económico local. O projeto conta ainda com a participação de empresas portuguesas dos setores das infraestruturas, serviços e grandes superfícies, que já têm presença na Colômbia, nomeadamente a Mota Engil e a Jerónimo Martins.

Este projeto é financiado pelo Fundo Fiduciário Europeu para a Paz na Colômbia e cofinanciado pelo Camões, I.P., incluindo recursos provenientes das autoridades locais e de empresas portuguesas