Esta expedição teve como principal missão identificar e estudar as espécies de cacau nativas da região amazónica de Caquetá, na Colômbia, centro de origem de muitas das espécies de cacau posteriormente domesticadas e cultivadas no mundo inteiro. O estudo das características destas plantas nativas, e dos seus recursos biológicos e genéticos, permitirá conceber soluções para as pragas e doenças presentes nos cacaueiros da região. Na verdade, a aposta na agrobiodiversidade, dentro da qual o conhecimento do património genético nativo é uma componente essencial, é fundamental para a criação e promoção de sistemas sustentáveis de produção de cacau de qualidade.

A expedição decorreu em zonas remotas da floresta amazónica colombiana e contou com o apoio da comunidade indígena de Huitoto-Murui, sem a qual não teria sido possível percorrer estas áreas, apenas conhecidas por membros desta comunidade. A presença de uma equipa de biólogos e ecologistas da Universidade da Amazónia, permitiu também identificar as características ecológicas e as diversas espécies de fauna e flora presentes no ecossistema em que se inserem as espécies nativas de cacau.

O projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá investe no conhecimento científico sobre espécies nativas de uma região em que, devido a décadas de conflito, muito está ainda por conhecer no que toca à biodiversidade. Estes conhecimentos revelam-se essenciais para os objetivos do projeto, nomeadamente na melhoria das capacidades de produção, transformação e comercialização de cacau de qualidade, num processo capaz de gerar rendimentos para as comunidades locais e dinamizar a economia da região.