O projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá, na Colômbia intervém em zonas fortemente afetadas pelo conflito armado, caraterizadas por altos níveis de pobreza e exclusão e reduzido dinamismo na criação de redes sociais e associativas ao nível do território. Como em muitas zonas rurais desfavorecidas, a dificuldade de acesso a mecanismos de crédito flexíveis e ajustados à realidade económica e social locais é um fator que bloqueia o investimento, limitando a criação e o crescimento de pequenos negócios familiares ou de organizações de base. Este fator, que muitas vezes não é tido em conta em programas e projetos de desenvolvimento, tem importantes consequências no processo de desenvolvimento das comunidades rurais a um nível global.

Neste contexto, o projeto promoveu a criação de Grupos Autónomos de Poupança e Crédito (GAPC), procurando criar oportunidades de crédito sustentáveis para as comunidades beneficiárias do projeto. Estes grupos são constituídos por membros de uma comunidade que se juntam voluntariamente, de acordo com laços de confiança existentes, para criar um sistema coletivo em que cada membro contribui para um fundo global através do qual pode beneficiar de empréstimos com taxas de interesse reduzidas (máximo de 3%). Os grupos reúnem a cada 15 dias e garantem ainda a criação de um fundo social, composto de contribuições de todos os membros, destinado a funcionar como um instrumento de “micro seguro” comunitário, a acionar de forma solidária, no caso de uma emergência para algum dos membros do GAPC. 

Os GAPC representam muito mais do que um simples mecanismo de poupança e crédito e os seus resultados ultrapassam os impactos imediatos gerados pela disponibilização de recursos financeiros e acesso ao investimento. Na verdade, os grupos criados revelam-se um forte instrumento para a geração de capacidades ao nível local, promovendo a autogestão e corresponsabilidade e transferindo de forma direta às comunidades locais conhecimentos e ferramentas para a criação de modelos de gestão coletiva.

Foram criados 26 Grupos Autónomos de Poupança e Crédito, vinculando cerca de 330 pessoas, com destaque para uma grande participação de mulheres e jovens. Ao longo deste processo, gerido pela equipa do projeto durante várias etapas, foram promovidas inúmeras ações de formação e capacitação que permitiram aos beneficiários apropriar-se desta metodologia e implementá-la de forma autónoma. Os participantes destacam o papel desta dinâmica no fortalecimento dos níveis de liderança e participação nas comunidades e na autoconfiança e empoderamento dos participantes.

Assim, os GAPC funcionam como uma aposta a longo prazo no tecido social e comunitário da região num território em que décadas de conflito contribuíram para quebrar as dinâmicas sociais de cooperação e as redes comunitárias de apoio. Este é um contributo que permanecerá muito para além da conclusão do projeto e da intervenção da cooperação internacional em Caquetá.

O projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá é implementado pelo IMVF e pela Red Adelco e financiado pelo Fundo Fiduciário da União Europeia para a Paz na Colômbia, cofinanciado pelo Camões, I.P., e conta com contribuições da governação local do Departamento de Caquetá e dos municípios de La Montañita e El Paujil, bem como de empresas privadas portuguesas presentes na Colômbia.