Financiado pelo Fundo Europeu para a Paz, um instrumento de apoio à implementação dos Acordos de Paz e que identificou o Departamento de Caquetá, na Colômbia como um território prioritário para investimentos pós-conflito, o projeto Territórios Sustentáveis ​​para a Paz em Caquetá recebeu a visita da Delegação da União Europeia na Colômbia, liderada pelo Chefe da Cooperação, Rocco Busco, nos dias 27 e 28 de novembro.

Esta visita teve dois objetivos: dialogar com os diferentes parceiros institucionais e realizar visitas de campo para evidenciar, na prática, os resultados e as transformações que estão a ocorrer junto dos produtores e das suas famílias e organizações de base. Essa abordagem refletiu-se na estrutura da agenda da visita, alocando um dia para conversas com as comunidades e outro para reuniões com entidades territoriais, parceiros de implementação e representantes institucionais.

A Delegação teve oportunidade de contactar com as diferentes componentes do projeto, e com a lógica integral apresentada pela intervenção. O projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá incorpora uma visão ambiciosa em relação às oportunidades e aos desafios do desenvolvimento rural e à competitividade, bem como à sua relação com as entidades locais, o setor privado e os mercados. Da agenda fizeram parte:

  • Visita a uma das quintas (fincas) onde decorreram as Escolas de Campo Agrícolas e conversa com os participantes das cadeias produtivas. O objetivo foi avaliar o enfoque que o projeto dá à formação teórico-prática, com base no intercâmbio horizontal de conhecimento e nos exercícios de réplica associados à assistência técnica, e entender qual é a relação entre esses exercícios e os processos de melhoria produtiva, fortalecimento das cadeias de valor e acesso a mercados de qualidade.
  • Inauguração de uma das obras de melhoria da rede viária. O projeto entende que condições competitivas não podem ser geradas se não houver ambientes que o permitam, portanto, o suporte técnico aos produtores é complementado por investimentos estratégicos que facilitam as ligações, a mobilização de produtos e a interação com o setor privado e os mercados.
  • Conversa com as organizações de base sobre o processo de fortalecimento e a participação nos Grupos de Poupança e Crédito Autogerenciados. As associações estabeleceram-se como uma plataforma de transformação no nível local (integradas por mulheres, produtores, indígenas, jovens, etc.) e o projeto dedica esforços importantes para melhorar a sua associatividade, o seu funcionamento e a sua capacidade operacional. Além disso, são trabalhados os processos de participação do cidadão, transparência e advocacia política. Foi possível saber como o processo de suporte técnico foi fornecido, qual foi sua formação prática por meio do Grupos de Poupança e Crédito Autogerenciados e que tipo de instrumentos de apoio técnico e financeiro foram disponibilizados pelo projeto.
  • Visita ao Espaço Territorial de Capacitação e Reintegração Héctor Ramírez e conversa com os ex-combatentes sobre as apostas produtivas e comerciais que estão a desenvolver com o apoio do projeto. O apoio decidido que o projeto dá ao processo de reintegração coletiva começa a dar resultados importantes e foram visíveis as apostas de valor agregado, exercícios de planeamento participativo e investimentos na comunidade.
  • Abordagem a outras apostas inovadoras das comunidades, como óleos essenciais ou canangucha, como fonte complementar de rendimento. O projeto incorpora uma visão ampla do desenvolvimento rural e das economias locais, incorporando estratégias inovadoras de diversificação e geração de valor agregado que, na visão da procura e do mercado, permitem expandir as fontes de rendimento das famílias produtoras e abrir novas oportunidades de negócio. A visita permitiu estabelecer um diálogo sobre o uso sustentável de produtos locais, como a canangucha, a produção de plantas aromáticas e a sua transformação em óleos essenciais.

A missão terminou com a realização da Mesa Territorial de Caquetá, que contou com a presença de autoridades locais, como os alcaldes de La Montañita e El Paujil – municípios onde o projeto intervém – o Comandante da XI Divisão do Exército Nacional da Colômbia e do Comandante do Batalhão de Engenheiros Liborio Mejia.

Este é um espaço de coordenação dos projetos do Fundo Europeu para a Paz na Colômbia com os diversos atores do território: diferentes entidades e instituições territoriais do governo nacional, organizações internacionais, e representantes de diferentes organizações da sociedade civil.

A participação foi ampla e ativa e obteve 3 resultados principais:

  • Desenvolvimento de um processo de prestação de contas e partilha de resultados alcançados pelo Fundo Europeu para a Paz no Departamento de Caquetá, através dos projetos em execução e das próximas iniciativas que se planeiam promover.
  • Fortalecimento dos vínculos entre os projetos e as entidades territoriais, reconhecendo o apoio ao cumprimento dos planos de desenvolvimento e a possibilidade de articulação público-privada proporcionada por essas iniciativas.
  • Identificação de alguns dos desafios enfrentados pela região em termos de desenvolvimento económico, meio ambiente e construção da paz e reflexão conjunta sobre como os projetos do Fundo estão a contribuir ou podem contribuir para a gestão e mitigação desses problemas.

A Mesa Territorial permitiu fortalecer laços e alianças com instituições públicas, demonstrando que os projetos não são iniciativas isoladas do contexto territorial, mas complementos dos programas, objetivos e metas estabelecidos pelos líderes locais. Esses processos de articulação interinstitucional, a nível técnico e financeiro, continuarão a aprofundar-se nos próximos anos.