AMissão de Cirurgia Geral a São Tomé e Príncipe no âmbito do Projeto Saúde para Todos – Consolidação do Sistema Nacional de Saúde de São Tomé e Príncipe, coordenada pela Dra. Rita Roque, do Hospital Lusíadas de Lisboa, exerceu atividade clínica e formativa no Hospital Dr. Ayres de Menezes, em São Tomé. Integraram também esta missão a cirurgiã geral, Dra. Beatriz Gonçalves, do Instituto Português de Oncologia de Lisboa e a anestesiologista, Dra. Susana Cabrita, do Hospital Lusíadas de Lisboa. 

Durante 5 dias, foram realizadas 44 consultas e 23 intervenções cirúrgicas, entre as quais se destacam 4 cirurgias laparoscópicas a vesícula biliar, 3 cirurgias à tiroide, 8 hérnias inguinais, 2 hérnias umbilicais, 1 hérnia epigástrica, entre outras.

Na manhã do último dia da missão, foi dinamizada uma sessão formativa dirigida ao corpo clínico do HAM, dedicada ao tema “Abdómen Agudo”, seguindo-se a discussão de casos clínicos da urgência do HAM. Esta reunião promoveu o conhecimento e a troca de experiências entre os profissionais de saúde, contando com a participação ativa de todos.  

Os médicos do HAM em formação cirúrgica Dr. Acibiel Medeiros da Graça e Dr. Jailson da Graça Espírito Santo Vasconcelos acompanharam diariamente a atividade cirúrgica da equipa. Participaram nas intervenções cirúrgicas como ajudantes e como cirurgiões tutelados, durante as quais foram alertados para detalhes da técnica cirúrgica e particularidades na interpretação da anatomia. Foram incentivados no treino cirúrgico, iniciando pequenos gestos cirúrgicos tutelados, nomeadamente em cirurgia laparoscópica. Foi também ensinada teoria de técnica cirúrgica e anatomia durante as intervenções nas quais os médicos em formação participaram. Além de técnica cirúrgica, a propósito de casos clínicos, foram discutidas patologias, nomeadamente diagnóstico diferencial de massas cervicais, dando relevância ao exame objetivo. 

De acordo com a chefe da missão, Dra. Rita Roque:

Assistiu-se a uma evolução favorável desde a última missão, com maior motivação, espírito de equipa, confiança e interajuda, bem como uma maior autonomia dos cirurgiões em formação, constatando-se um maior número de cirurgias realizadas enquanto cirurgiões tutelados”. E reforçou: A formação e autonomia dos cirurgiões mais novos é um tema que julgamos pertinente e que poderá ser um foco prioritário e com maior destaque nas futuras missões. Além de temas básicos e gerais da cirurgia geral, esta formação poderá incidir em determinadas áreas específicas como hérnia, mama e tiroide, mais frequentes nas missões de cirurgia geral 

Por fim, a chefe da missão considerou: “Tal como nas missões anteriores, para a equipa de médicas portuguesas em missão, a experiência foi muito gratificante. Notou-se um espírito de equipa imenso e em crescente e um acolhimento caloroso pela equipa cirúrgica do HAM: médicos, enfermeiros do bloco e da enfermaria, e auxiliares de ação médica. A motivação e alegria reinou durante toda a semana, superou os vários momentos de cansaço e potenciou o trabalho de todos. Constatámos com imenso apreço que houve maior interesse dos médicos em formação cirúrgica em se envolverem, participarem e colaborarem com a equipa em missão. Este foi um ponto muito positivo desta missão. Estabeleceu-se uma relação de confiança, amizade e compromisso em manter canais abertos de partilha de conhecimento”.  

Em Números

  • 1 semana de missão 
  • 3 profissionais de saúde especializadas 
  • 44 consultas 
  • 23 intervenções cirúrgicas  
  • 19 doentes operados
  • Atividade formativa e discussão de casos práticos sobre o tema “Abdómen Agudo”

O Projeto Saúde para Todos – Consolidação do Sistema Nacional de Saúde de São Tomé e Príncipe é implementado pela AMVF – Associação Marquês de Valle Flôr, com o apoio do IMVF em estreita parceria com o Ministério da Saúde e dos Direitos da Mulher de São Tomé e Príncipe e financiado pelo Camões, I.P. e pela Secretaria-Geral do Ministério da Saúde de Portugal. 

 

Spread the love