Saúde para Todos

Consolidação do Sistema Nacional de Saúde de São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe

O Programa Saúde para Todos – Consolidação surge, neste contexto, como mais um passo no processo de aprofundamento dos progressos já alcançados e de promoção da crescente autonomia e sustentabilidade do setor.

Esta proposta resulta do trabalho de reflexão estratégica desenvolvido, em estreita parceria, entre o Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe, a Cooperação Portuguesa, a  Associação Marquês de Valle Flôr (AMVF) e o IMVF. Assim, esta nova fase do Programa procurará apostar, numa lógica de continuidade, no reforço e aprofundamento da assistência, capacitação e formação nas especialidades prestadas na fase anterior do Programa.

Assim, pretende-se que esta nova fase do Programa esteja direcionada para o futuro, alinhada às tendências de crescente digitalização do setor em diversas especialidades e adaptação a novos desafios epidemiológicos no contexto São-tomense; ao mesmo tempo que se evitam retrocessos em áreas primordiais, como a existência incontornável de uma rede de cuidados preventivos e primários robusta, eficaz e responsiva e infraestruturas sanitárias de qualidade e dotadas com equipamentos e meios necessários para o seu devido funcionamento, bem como garantir a resposta ao aumento da prevalência de Doenças Não Transmissíveis (DNT), atendendo à evolução do perfil epidemiológico no país.

 

OBJETIVOS:

Geral: Contribuir para o acesso universal da população de São Tomé e Príncipe a cuidados de saúde de qualidade.

Específico 1: Promover a disponibilidade, qualidade e crescente autonomia da prestação de cuidados de saúde preventivos, primários e especializados em São Tomé e Príncipe.

Específico 2: Reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde são-tomense no combate a novos desafios epidemiológicos, com enfoque nas Doenças Não Transmissíveis.

 

BENEFICIÁRIOS:

  • A totalidade da população são-tomense, cerca de 215.056 habitantes enquanto utilizadores do Serviço Nacional de Saúde;
  • 855 profissionais de saúde integrados no Sistema Nacional de Saúde;
  • 5 médicos, 2 técnicos de laboratório e 2 técnicos de manutenção de equipamentos a beneficiar de formação de longa e média duração em Portugal;
  • Ministério da Saúde de São Tomé e Príncipe.

ATIVIDADES: 

  • Reforço das Políticas de Desenvolvimento Sanitário, para a promoção da eficácia na gestão e para a sustentabilidade financeira do setor da saúde
  • Melhoria das condições técnicas e materiais da rede de cuidados preventivos e primários a nível distrital
  • População nacional com acesso acrescido a cuidados de saúde especializados de qualidade in loco e à distância através da plataforma de telemedicina
  • Capacitação dos Profissionais de Saúde nacionais para uma maior autonomia do SNS ao nível da prestação de cuidados especializados
  • Reforço da capacidade de resposta do SNS São-Tomense para a prevenção, controlo, diagnóstico e tratamento de Doenças Não Transmissíveis (DNT)