Apoio à Resposta à Pandemia de COVID-19 na Guiné Bissau

Guiné-Bissau

A rápida propagação da atual pandemia de COVID-19 confirma que, num panorama internacional altamente globalizado, não existem fronteiras para a propagação das doenças respiratórias virais e que estas patologias se tornaram, cada vez mais, efetiva e garantidamente globais.

Na Guiné-Bissau a rápida propagação da COVID-19 veio demonstrar a falta de preparação do sistema de saúde em dar resposta a surtos desta doença e a outras doenças infeciosas, bem como as vulnerabilidades e problemas de subfinanciamento do setor da saúde já existentes. As fragilidades do Sistema Nacional de Saúde Bissau-guineense estão patentes nas degradadas condições materiais e infraestruturais das diversas estruturas sanitárias do país, bem como da disponibilidade limitada, assimetricamente distribuída e carências formativas estruturais dos recursos humanos afetos a estas unidades de Saúde. Os hospitais designados para ter Centros de Isolamento COVID-19 têm condições precárias e falta de equipamentos médicos.

A Guiné-Bissau representa um território de elevado risco para a propagação de surtos de novas doenças, nomeadamente de doenças respiratórias virais com altas taxas de contágio como a COVID-19, facto reconhecido pela própria Organização Mundial da Saúde e patente no Plano de Contingência para resposta à COVID-19, aprovado pelas autoridades políticas Bissau-guineenses em março de 2020.

  

OBJETIVOS

Global: contribuir para o reforço das capacidades de resposta da Guiné-Bissau à pandemia de COVID-19.

Específico: promover a melhoria das capacidades assistenciais dos serviços de saúde nas estruturas de referência da Guiné-Bissau que foram designadas para resposta à pandemia de COVID-19.

 

BENEFICIÁRIOS

Diretos: doentes com COVID-19 e doentes com síndromes respiratórios agudos graves, bem como os profissionais de saúde afetos às estruturas sanitárias de referência beneficiárias da ação, o Hospital Nacional Simão Mendes, o Hospital de Cumura e o Hospital de Bor.

Indiretos: pelo menos os 1.881.005 habitantes das 11 regiões sanitárias / 9 regiões administrativas que constituem a Guiné-Bissau.

 

ATIVIDADES

Melhoria das condições materiais das 3 estruturas de saúde de referência em Bissau para a prestação de cuidados a doentes com COVID-19

  • Opção técnica e aquisição dos equipamentos da ação em função das prioridades e da eficácia operacional no combate à COVID-19 tendo em conta a realidade da Guiné-Bissau;
  • Assegurar a logística para a importação, armazenamento e distribuição, instalação e capacitação para a manutenção de equipamentos e materiais de apoio clínico;
  • Capacitar os técnicos de saúde Bissau-guineenses para a utilização correta dos equipamentos e materiais distribuídos.

 

 

NOTÍCIAS

24/07/2020 | União Europeia e Portugal unidos no combate à COVID-19 na Guiné-Bissau