Projeto Descentralizado de Segurança Alimentar em São Tomé e Príncipe (PDSA/STP)

São Tomé e Príncipe

Apesar do potencial produtivo de São Tomé e Príncipe, o país tem vivido uma situação constante de diminuição da produção interna, recorrendo frequentemente a importações para cobrir as necessidades básicas da população. O PDSA-STP surgiu num momento chave com o propósito de apoiar e reforçar a capacidade de intervenção da recém-criada Rede Nacional da Sociedade Civil para a Segurança Alimentar, procurando assim estimular o setor agrícola em São Tomé e Príncipe.

Beneficiários:

  • Diretos: 1500 Agricultores em todo o país agrupados em Associações Camponesas e Pequenas Unidades de Transformação
  • Indiretos: ONG com intervenção na área da segurança alimentar e 25.000 habitantes das regiões abrangidas pelo projeto

 

Objetivos:

  • Gerais: contribuir para a redução da pobreza e desenvolvimento socioeconómico em São Tomé e Príncipe; contribuir para o reforço das capacidades de intervenção da sociedade civil Santomense na área da segurança alimentar
  • Específico: promover a Segurança Alimentar no país através do reforço das capacidades de produção, transformação e valorização de produtos agrícolas

Atividades:

Resultado Esperado 1: unidade de gestão do programa / assistência técnica criada:

– constituição da Unidade de Gestão do Programa, em articulação com a RSCSA e com o MAPDR;
– diagnóstico de necessidades e prioridades de intervenção a nível Distrital;
– aquisição de materiais e equipamentos para as atividades de extensão rural/transformação e conservação;

Resultado Esperado 2: capacidade produtiva aumentada e diversificada:

– apoio a iniciativas das ONG membro da Rede da Sociedade Civil para a Segurança Alimentar;
– apoio à produção de culturas alimentares;
– apoio à produção de culturas hortícolas e frutícolas;
– reabilitação de infraestruturas de apoio à produção;
– desenvolvimento de técnicas agrícolas melhoradas;

Resultado Esperado 3: capacidades locais de transformação e valorização de produtos locais reforçadas:

– apoio à criação e fortalecimento de pequenas unidades de transformação;
– disseminação de tecnologias inovadoras;
– apoio à conservação de produtos hortícolas e frutícolas

Resultado Esperado 4: organizações locais de produtores fortalecidas:

– acompanhamento técnico permanente às ações a desenvolver a nível distrital;
– ações de formação;
– realização de seminários sobre Segurança Alimentar.

Parceiros:

  • FONG – Federação das ONG’s de São Tomé e Príncipe

Vídeos