A Escola de Campo “Agricultura em Sistemas Agroflorestais e Essências Aromáticas para a Paz”, promovida no quadro do projeto Territórios Sustentáveis para a Paz em Caquetá, decorreu nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro de 2019, no Espaço Territorial de Capacitação e Reincorporação (ETCR) do município de La Montañita, em Caquetá, onde antigos combatentes das FARC-EP procuram criar e consolidar novos projetos de vida na era pós-conflito.

A capacitação deste público, criando as condições para a sua integração profissional, nomeadamente na área agrícola, é um fator essencial para a consolidação do processo de Paz. Assim, esta Escola de Campo procurou formar os produtores para a introdução de técnicas e práticas agrícolas sustentáveis, combinando a utilização de árvores lenhosas e de fruta, ervas aromáticas e medicinais e culturas agrícolas, na mesma parcela produtiva.

Os sistemas agroflorestais sintrópicos focam-se na interação entre o ecossistema florestal e a produção agrícola, procurando obter benefícios mútuos através da introdução de conceitos e práticas agroecológicas e um foco em questões sociais, ambientais e económicas.

Para além da importância socioeconómica desta iniciativa, destaca-se o seu papel ambiental na criação de espaços agrícolas caraterizados por uma enorme biodiversidade e, consequentemente, por uma maior resistência a pragas, reduzindo a necessidade de recurso a pesticidas e outros produtos químicos. A capacitação dos produtores nesta área é ainda essencial para conciliar a criação de sistemas produtivos rentáveis e competitivos com a conservação e proteção do ecossistema florestal, fator crucial para o desenvolvimento presente e futuro do território.

Durante a iniciativa, que contou com componentes teóricas e práticas ao longo de 3 dias, os participantes adotaram uma postura proativa e participativa no trabalho com a equipa do projeto. Destaca-se o papel das mulheres ex-combatentes e a maneira como, fazendo uso das ferramentas proporcionadas pela Escola de Campo, preveem apostar nas oportunidades comerciais ligadas às plantas aromáticas e medicinais, através da sua transformação em produtos desidratados (tisanas e outros) e óleos essenciais. A valorização destes produtos permite ainda preservar e promover os conhecimentos e usos ancestrais das espécies vegetais da região.

A realização desta Escola de Campo assume um papel crucial no contexto do projeto, nomeadamente pelo seu enfoque territorial num ETCR. Este tipo de ações de capacitação, que aliam o saber-fazer e os conhecimentos técnicos locais, nacionais e internacionais, permitem potenciar as transformações e condições socioeconómicas necessárias para a consolidação da Paz.

Programa.