Decorre entre 13 e 30 de maio de 2019 o último ciclo de Formação Avançada em Cuidados Obstétricos e Neonatais de Urgência (CONU) e em Ecografia Obstétrica, ambas desenvolvidas no âmbito do PIMI II – Programa Integrado para a Redução da Mortalidade Materna e Infantil, na Guiné-Bissau.

A primeira destina-se a 45 profissionais afetos ao Sistema Nacional de Saúde oriundos das diversas regiões sanitárias do país, entre médicos e enfermeiros, que prestam apoio à gravidez, parto, puerpério e ao recém-nascido e que foram selecionados para este ciclo de formação avançada, mediante os resultados obtidos na avaliação do ciclo anterior (CONU).

No que concerne à formação em Ecografia Obstétrica, este último ciclo formativo destina-se a 4 médicos que prestam apoio à Obstetrícia nas regiões sanitárias de Biombo, Bolama, Gabu e Quinara. Importa referir que as restantes regiões sanitárias da Guiné-Bissau foram já previamente abrangidas pelos ciclos de formação que decorreram nos meses de abril e maio de 2018.

Estes dois cursos têm como objetivo consolidar os conhecimentos adquiridos nos ciclos de formação anteriores e respetivos, e que passam por fornecer as competências especificas das áreas de cuidados da urgência e emergência em obstetrícia e neonatologia e de realização de ecografias obstétricas, reforçando o uso dos recursos técnicos existentes para o efeito e disponibilizados pelo IMVF.

O PIMI II tem como objetivos contribuir para a redução das mortalidades materna, neonatal e infantojuvenil na Guiné-Bissau e, em particular, para o alcance das metas traçadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e assegurar um melhor acesso a cuidados de saúde de qualidade a mulheres grávidas e puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças até aos 5 anos na Guiné-Bissau.

A Guiné-Bissau apresenta indicadores particularmente alarmantes ao nível da saúde materna e infantil, registando taxas de mortalidades materna e infantil das mais elevadas do mundo. Neste contexto, cabe ao IMVF cobrir as necessidades formativas em várias valências e assistenciais num universo nacional de 132 hospitais regionais e centros de saúde, assegurando também a disponibilização e distribuição de medicamentos essenciais, equipamentos e consumíveis médicos e garantindo, ainda, a realização de reabilitações e manutenções nas infraestruturas dos hospitais e centros de saúde do país.

O programa beneficia diretamente cerca de 200 mil crianças menores de 5 anos, cerca de 300 mil mulheres em idade fértil e 70 mil mulheres grávidas, e mais de 950 profissionais de saúde das 117 áreas sanitárias do país. A ação beneficiará indiretamente a totalidade da população da Guiné-Bissau (1.565.815 habitantes).

A componente a cargo do IMVF neste projeto tem um orçamento de 8 milhões de euros e é financiada a 90% pela União Europeia contando, ainda, com o apoio do Camões, I.P.