O Acordo de Cooperação entre a Rede Nacional de Incubadoras e Aceleradoras de Negócios (REINA) e o IMVF, no âmbito do Projeto de Apoio às Fileiras Agrícolas de Exportação (PAFAE) de São Tomé e Príncipe, implementado pelo IMVF, foi assinado na manhã do dia 21 de novembro, na sede da REINA, na cidade de São Tomé. Esta colaboração reforça a estratégia do PAFAE de, no quadro da sua atuação, estreitar a cooperação com as organizações governamentais e não governamentais, com vista ao sucesso das suas ações no terreno e ao reforço do papel destas instituições ao serviço do país.

Este acordo, que vigorará durante 9 meses (de novembro de 2023 a julho de 2024), estabelece a colaboração entre as duas entidades, nomeadamente ao nível do apoio formativo a micro empreendedores que irão implementar pequenos negócios através das subvenções a atividades geradoras de rendimentos atribuídas pelo PAFAE.

A REINA, organização governamental que desenvolve programas em prol da juventude, das mulheres empreendedoras e dos setores do turismo e agronegócio, disponibilizará as suas instalações e os seus recursos a nível nacional, em São Tomé e no Príncipe, para a realização de uma formação de um mês em gestão e planos de negócio, e no acompanhamento das iniciativas implementadas durante 5 meses.

Esta formação dirige-se a 25 micro empreendedores, selecionados entre as 39 candidaturas apresentadas às subvenções a atividades geradoras de rendimentos. No final será feita a seleção das 15 microiniciativas que irão receber uma subvenção no montante máximo de 7.500 € cada, num total de 112.500 € disponíveis.

Pretende-se, assim, que, após a formação, todos os micro empreendedores estejam mais preparados e capacitados para melhorar os seus negócios – quer sejam ou não contemplados com a subvenção – contribuindo para a promoção e criação de emprego na sua comunidade, bem como para aumentar o rendimento daqueles que nela residem.

O Diretor do Empreendedorismo, Dr. Admilton Teixeira referiu. “Este é um momento especial, pois marca o início de uma parceria estratégica entre duas entidades que têm como objetivo comum apoiar e impulsionar o empreendedorismo dentro das fileiras agrícolas no nosso país.” E acrescentou que “através do empreendedorismo agrícola podemos criar oportunidades de negócio, gerar emprego e contribuir para o crescimento sustentável das nossas comunidades”. Por fim, concluiu. “Este é um passo importante para fortalecer o ecossistema empreendedor no setor agrícola.”

SUBVENÇÕES A ATIVIDADES GERADORAS DE RENDIMENTOS

O concurso para atribuição de subvenções a atividades geradoras de rendimentos decorreu entre agosto e outubro e priorizou propostas apresentadas por mulheres e jovens são-tomenses. Foram apresentadas 39 candidaturas de negócios ligados ao setor agrícola, ou para reforço de negócios já existentes através da aquisição de máquinas, equipamentos, insumos e materiais e, ainda para a realização de pequenas obras nos locais/nas infraestruturas de produção.

Pretende-se, com esta ação, promover a inovação ao nível da produção, transformação e comercialização, tanto das culturas de exportação (cacau, café e pimenta), como de outras culturas, criando alternativas inovadoras para a geração de rendimento de famílias, particularmente jovens e mulheres, das zonas rurais do país.

O Projeto de Apoio às Fileiras Agrícolas de Exportação (PAFAE) de São Tomé e Príncipe é financiado pela União Europeia, cofinanciado pelo Camões, I.P. e implementado pelo Instituto Marquês de Valle Flôr (IMVF) em estreita parceria com o Ministério de Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pesca (MADRP) de São Tomé e Príncipe e tem vindo a contribuir para a fortalecimento da economia e a criação de emprego em São Tomé e Príncipe no setor das fileiras agrícolas de exportação.

 

Spread the love