Museu Mundial

Portugal

Numa altura em que avançamos já com a discussão da Agenda Global pós-2015 é fundamental garantir que os cidadãos compreendem os Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM) e a sua importância para o Desenvolvimento Global.


A Educação para a Cidadania Global (CG) nos museus é praticamente inexistente. No entanto, os museus são locais excelentes para a introdução das temáticas da cidadania junto do grande público. O projeto Museu Mundial pretende colmatar este distanciamento. Como? Desenvolvendo uma abordagem inovadora de integrar a CG nos museus.

Saiba mais sobre este projeto em www.museomundial.org/pt/

Informação sobre as instalações ODM e ODS desenvolvidas no âmbito do projeto aqui.

 

 

 

BENEFICIÁRIOS:

Técnicos das ONGD, técnicos dos museus, visitantes dos museus, população da África Subsariana e de outros países em desenvolvimento.
 

 

OBJETIVOS:

Geral: Contribuir para a disseminação e implementação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM).

Específico: Uma abordagem inovadora de incorporação da educação global nos museus europeus motiva 90 000 visitantes dos museus da Hungria, Alemanha, Portugal, República Checa para apoiarem os ODM.

 
 
 

ATIVIDADES:

Resultado esperado 1: Um conceito de educação global inovador para ser incorporado nos museus é desenvolvido como um modelo a ser seguido por museus e ONGD interessadas em implementar os temas de desenvolvimento e os ODM nas exposições.
 
A1.1: Recolha de exemplos de boas práticas metodológicas de educação global;
A1.2: Conduzir um inquérito aos técnicos e visitantes dos museus;
A1.3: Organizar um workshop conceptual para todos os parceiros e outros peritos;
A1.4: Desenvolver 40 ferramentas inovadoras de educação global.
 
Resultado esperado 2: 90 mil visitantes de museus na Alemanha, Hungria, República Checa e Portugal aumentam o seu conhecimento sobre os ODM e estão motivados para contribuir para a sua concretização.
 
A2.1: Desenvolver e aplicar 10 ferramentas inovadoras de educação global para serem incluídas nas exposições dos museus;
A2.2: Elaborar e divulgar roteiros e catálogos das exposições para visitantes que incluam referências aos temas globais;
A2.3: Organizar cinco formações internas dirigidas aos guias dos museus participantes;
A2.4: Produzir e divulgar um folheto de promoção da educação global nas exposições dos museus;
A2.5: Organizar uma semana de inauguração para cada museu;
A2.6: Ter em exibição nos cinco museus, durante pelo menos um ano, as exposições que incluem as ferramentas inovadoras de educação global.
 
Resultado esperado 3: Uma base de dados de multiplicadores de ferramentas inovadoras de educação global para os ODM em museus é estabelecida e divulgada em cinco línguas.
 
A3.1: Documentar o desenvolvimento e a produção das ferramentas inovadoras de educação global;

A3.2: Avaliar o uso prático das ferramentas nas exposições;

A3.3: Organizar um workshop de multiplicação com a duração de dois dias;
A3.4: Estabelecer e disseminar uma base de dados de multiplicadores online;
A3.5: Elaborar e disseminar uma versão e-book de 130 páginas da base de dados;
A3.6: Elaborar e divulgar um mini manual de 10 páginas para promover a educação global nos museus;
A3.7: Divulgar a abordagem inovadora em quatro conferências europeias.
 
Resultado esperado 4: Mais de 180 membros dos departamentos educativos dos museus europeus e das ONGD são capazes de promover os ODM junto dos visitantes dos museus, através da educação global.
 
A4.1: Organizar oito cursos de formação externos para técnicos de museus e ONGD;
A4.2: Organizar e promover cinco mesas redondas para museus e ONGD.
 
Resultado esperado 5: Um sistema eficiente e funcional de coordenação, administração, acompanhamento, avaliação e controlo financeiro do projeto é implementado.
 
A5.1: Estabelecer as regras de gestão global do projeto num workshop inicial de parceiros;
A5.2: Organizar e orientar 6 reuniões de coordenação e planeamento com todos os parceiros;
A5.3: Organizar 15 reuniões de parceiros via Skype;
A5.4: Gerir o sistema de acompanhamento, controlo financeiro, administração e avaliação interna do projeto;
A5.5: Implementar e monitorizar o plano de visibilidade;
A5.6: Participar nos seminários organizados pela EuropeAid;
A5.7: Realizar uma auditoria financeira;
A5.8: Realizar uma avaliação externa.
 
 
 
 

PARCEIROS:

FINEP, DEAB, EDUCON, CM Loures, IP Leiria, Baptista Szeretetszolgálat Alapítvány, Néprajzi Múzeum, Museum of Hungarian Agriculture, Naturhistorische Gesellschaft Nürnberg, Národní zemedelské museum

VÍDEOS:

Instalações sobre os Objetivos do Desenvolvimento do Milénio (ODM) e Objetivos de Desenvolvimento Sustentáveis no Museu Municipal de Loures/Quinta do Conventinho

FOME ZERO
ODM 1: Erradicar a Pobreza Extrema e a Fome

Apesar do progresso no combate à insegurança alimentar global, os números são alarmantes – existem ainda cerca de 805 milhões de pessoas sem acesso a uma alimentação suficiente e de qualidade nutricional. E os progressos atingidos na luta contra a pobreza extrema ao longo das últimas duas décadas são ainda muito frágeis e irregulares.A instalação Fome Zero, situada no pombal do Museu Municipal de Loures, procura ser um testemunho da necessidade de se apoiar causas e políticas que promovam um combate eficaz à pobreza e à insegurança alimentar.

Folheto | Álbum de fotos
Infografia | Folheto “Insetos: Mito vs Realidade”

POR CADA MULHER, POR TODOS/AS NÓS
ODM 3: Promover a Igualdade de Género e Capacitar as Mulheres

Um mundo justo e sustentável exige o respeito pelos direitos das mulheres e pelos princípios da igualdade de género. É uma questão de justiça, é uma questão de direitos, é uma questão social e económica. A Declaração de Pequim, aprovada em 1995 pela Organização das Nações Unidas, considera que os Direitos Humanos das mulheres e raparigas são uma parte inalienável, integrante e indivisível dos Direitos Humanos Universais. A participação plena das mulheres, em condições de igualdade, na vida política, cívica, económica, social e cultural, ao nível regional, nacional e internacional, bem como a eliminação de todas as formas de discriminação com base no sexo, constituem desde então objetivos prioritários da comunidade internacional.

Folheto | Álbum de fotos

SALVAR UMA MÃE É SALVAR O MUNDO
ODM 5: Melhorar a saúde materna

O direito à saúde reprodutiva, ao planeamento familiar e à saúde sexual é uma parte integral do direito universal à saúde, no entanto, todos os dias, cerca de 800 mulheres morrem durante a gravidez ou mesmo durante o parto. A instalação “Salvar uma mãe é Salvar o Mundo”, situada na sala de reservas do mobiliário do Museu Municipal de Loures, onde se encontra o acervo de mobiliário dos últimos 100 anos, que ilustra o ambiente doméstico que até ao final do século XX enquadrava a realidade da gravidez e parto, procura dar um testemunho da necessidade de se apoiar causas e políticas que promovam uma melhoria significativa da saúde materna global.

Folheto | Metodologia Ranking Diamante | Álbum de fotos

PLANETA VERDE, FUTURO SUSTENTÁVEL 
ODM 7: Garantir a Sustentabilidade Ambiental

O plástico é quase indissociável do nosso estilo de vida moderno. Ao longo dos últimos 150 anos este extraordinário material conseguiu mudar radicalmente a sociedade em que vivemos. Mas a sua durabilidade e resistência são uma ameaça ao ambiente: cada pedaço de plástico produzido até hoje que não foi recolhido e tratado ainda existe algures, perdido na natureza. Em 1992 realizou-se a primeira Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a “Cimeira do Rio”. Este foi um ponto de viragem, no final do século XX, na discussão em torno da redução da pressão sobre o ecossistema global através dos princípios do desenvolvimento sustentável.

Folheto Álbum de fotos

ÁGUA É VIDA 
ODS

A água é o elemento mais essencial para a vida. O equilíbrio da Terra e o nosso futuro dependem do respeito e da preservação deste líquido precioso e de seus ciclos.Mas as Nações Unidas estimam que, até 2030, o planeta poderá enfrentar um déficit de água de 40%, a menos que melhoremos de forma dramática a nossa gestão desse precioso líquido. 2015 marca o início de uma nova Agenda para o Desenvolvimento. Os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ou ODS – devem comprometer todos os países na construção de um mundo socialmente mais justo, economicamente viável, ambientalmente sustentável e politicamente ativo num conjunto de objetivos, metas e indicadores que retratem este desejo de promover a justiça social.

Folheto Álbum de fotos

SABER É PODER
ODM 2: Alcançar o ensino primário universal

Não existe Desenvolvimento sem educação, mas em 2011 ainda existiam 57 milhões de crianças em idade escolar que não frequentavam uma escola. Situada no Centro de Documentação Anselmo Brancaamp Freire, no Museu Municipal de Loures, um espaço atualmente dedicado à leitura e aprendizagem da história de Loures, a instalação “Saber é Poder” procura dar um testemunho da necessidade de se apoiar causas e políticas que efetivamente contribuam para a universalidade do acesso à educação.

 

Folheto | Mapa
Álbum de fotos Site

CADA CRIANÇA CONTA
ODM 4: Reduzir a mortalidade infantil

Sabia que a cada 10 segundos uma criança morre de subnutrição? Que 6,6 milhões de crianças com menos de 5 anos morreram em 2012, e que metade destas mortes podiam ser evitadas? A instalação sonora “Cada Criança Conta”, situada na capela do Museu, alerta para a morte, a cada 10 segundos, de uma criança devido a causas relacionadas com a subnutrição.

 

SAÚDE PARA TODOS/AS
ODM 6: Combater o VIH/Sida, malária e outras doenças

O direito universal à saúde esta longe de ser uma realidade. Doenças como o VIH/Sida, a malária, a tuberculose e a diarreia continuam a matar milhões dos mais frágeis, mais jovens e mais velhos seres humanos. A instalação “Saúde para Todos/as”, situada na sala das Alfaias Agrícolas do Museu Municipal de Loures, procura dar um testemunho da necessidade de se apoiar causas e políticas que promovam uma melhoria significativa dos cuidados de saúde para todos e para todas.

Folheto | Álbum de fotos 

COMPRAS JUSTAS, VIDAS DIGNAS
ODM 8: Desenvolver uma Parceria Global para o Desenvolvimento

O que sabemos verdadeiramente sobre o que consumimos? Sabemos que aos desafios ambientais colocados pela excessiva produção e distribuição, temos de adicionar os desafios humanos. De facto é necessário garantir que existe em toda a cadeia de produção, desde a plantação às nossas mãos, um respeito absoluto pela dignidade humana, pelos valores sociais, ambientais e também económicos. Qual a melhor resposta a esta questão? A promoção do Comércio Justo.

Folheto Álbum de fotos

O NOSSO PLANETA ALIMENTAR
ODS

Nas últimas duas décadas, os números da fome diminuíram significativamente. Mas a fome ainda atinge centenas de milhões de pessoas num planeta em que um terço de tudo o que é produzido acaba no… no lixo.2015 marca o início de uma nova Agenda para o Desenvolvimento.Os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) devem comprometer todos os países na construção de um mundo socialmente mais justo, economicamente viável, ambientalmente sustentável e politicamente ativo num conjunto de objetivos, metas e indicadores que retratem este desejo de promover a justiça social.