Promoção da Inclusão de Crianças e Jovens com Deficiências Neurológicas

Cabo Verde

A ação foca-se nas deficiências neurológicas que, dentro das diversas deficiências identificadas nos Censos de 2010, é das que colhe menos apoios e mais carece de informação aprofundada, exigindo por sua vez maior investimento e articulação para a inclusão dos seus portadores.

A intervenção contribui para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiências neurológicas, especificamente as crianças e os jovens. Através de uma campanha nacional de sensibilização e educação da população em geral e das famílias, das comunidades onde vivem e da comunidade educativa, em especial, irá trazer-se para a praça pública esta problemática, reduzir os preconceitos, estigmas e distanciamento social, e elucidar sobre as soluções, comportamentos e mecanismos que podem ser criados e incentivados para uma verdadeira inclusão.

 

OBJETIVOS

Global: melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiências neurológicas.

Específico: promover a integração e inclusão de crianças e jovens com deficiências neurológicas.

BENEFICIÁRIOS

Diretos:

  • 440 crianças e jovens com deficiências neurológicas da ilha de Santiago e famílias, beneficiários das instituições Colmeia, Acarinhar, Crescer Especial, Down do Amor e FECAD;
  • 80 chefes de família/cuidadores informais destas crianças e jovens, na sua maioria mulheres, através do apoio à integração socioeconómica;
  • 4 associações de referência neste setor, beneficiárias do apoio a terceiros;
  • O Centro de Cuidados e Reabilitação das pessoas com deficiência;
  • 12 profissionais de saúde da área da fisioterapia;
  • 30 técnicos dos ministérios e dos municípios;
  • Famílias, comunidades de residência, comunidade escolar e população em geral.

Indiretos:

Todas as crianças, jovens e adultos com deficiências neurológicas.

 

 

RESULTADOS E ATIVIDADES

Fomentar a existência de um ambiente propício à inclusão de crianças e jovens portadoras de deficiências neurológicas.

  • Campanha Nacional de Sensibilização;
  • Atividades direcionadas às famílias e comunidades de residência;
  • Atividade com a comunidade escolar.

Aumento da coerência das políticas públicas para a inclusão e melhoria dos cuidados.

  • Constituição de comité de seguimento com os diversos stakeholders;
  • Formação aos técnicos municipais.

Reforço das competências das associações da área de intervenção e cuidadores e melhoria dos cuidados prestados.

  • Formação complementar específica dos fisioterapeutas e outro pessoal de apoio;
  • Apoio financeiro a terceiros para reforço das atividades de prestação de cuidados e investigação;
  • Reforço do Centro de Cuidados e Reabilitação.

Melhoria e promoção da integração socioeconómica das famílias.

  • Elaboração dos Planos de Desenvolvimento Individual dos cuidadores (mães/família);
  • Apoios para a criação de AGR/pequenos negócios;
  • Reforço de competências e encaminhamento para emprego.