PRO GB SOCIEDADE CIVIL – Programa para a Resiliência e as Oportunidades Socioeconómicas para a Guiné-Bissau

Guiné-Bissau

Considerando o entendimento e reconhecimento, por parte da Comissão Europeia, das Organizações da Sociedade Civil (OSC) enquanto atores do desenvolvimento “por direito próprio”, e portanto, agentes com grande proximidade e capacidade de incidência na resolução de problemas locais junto das populações, torna-se determinante que após a existência do programa de apoio à sociedade civil guineense UE-PAANE Nô Pintcha pa Dizinvolvimento, seguido de uma fase de transição, UE-PAANE Nô Pintcha pa Dizinvolvimento – Fase di Kambansa, a União Europeia renove o seu compromisso através da conceção de uma estratégia para a sociedade civil, no sentido de “torná-la um ator-chave na definição e implementação de políticas nacionais de desenvolvimento”.

É neste âmbito que se insere o Programa para a Resiliência e as Oportunidades Socioeconómicas para a Guiné-Bissau (PRO-GB), no qual se enquadra esta componente direcionada para a Sociedade Civil.

 

BENEFICIÁRIOS

Diretos: Organizações da Sociedade Civil guineense e os seus membros e associados.

Indiretos: A totalidade da população da Guiné-Bissau (1.565.815 habitantes).

 

 

OBJETIVOS

Geral: Reforçar a participação dos cidadãos e suas organizações na prestação e no acesso a serviços locais.

Específicos: Apoiar os cidadãos e suas organizações para implementar iniciativas de prestação e acesso a serviços locais; melhorar as capacidades de resiliência e de resolução de problemas locais dos cidadãos e das OSC; reforçar a participação das OSC nos processos de diálogo, ligação em rede e divulgação de dados e de conhecimentos.

 

 

ATIVIDADES

Implementação de iniciativas de prestação e acesso a serviços locais pelos cidadãos e suas organizações.

– Financiamento de iniciativas das OSC para a resolução de problemas locais, em benefício das populações, incluindo a prestação de serviços de base;

– Acompanhamento e assistência técnica das iniciativas das OSC.

Melhoria das capacidades de resiliência e de resolução de problemas locais dos cidadãos e das OSC.

– Apoio a iniciativas de reforço institucional e de capacidades das OSC, incluindo rádios comunitárias;

– Apoio ao reforço institucional e de capacidades dos atores parceiros.

 

Reforço da participação das OSC nos processos de diálogo, ligação em rede e divulgação de dados e de conhecimentos.

– Realização de atividades que contribuem para o acesso ao conhecimento, à partilha e capitalização de experiências da sociedade civil e de outros atores parceiros;

– Elaboração de outros estudos específicos relacionados com a sociedade civil;

– Apoio ao reforço institucional e de capacidades dos atores parceiros.

 

 

NOTÍCIAS

01/02/2019 IMVF renova compromisso com a sociedade civil guineense